2014 começa com discussoes sobre legislacao e falta de seguranca na internet

O ano começou bastante agitado no mundo online. Este ano cresce a expectativa pela definição do “Marco Civil” que promete ser uma espécie de constituição da internet brasileira, ganham espaço outras redes sociais como Instagram e Pinterest e aumentam as discussões sobre segurança na web com novos vazamentos de dados. Veja alguns destaques:

Marco Civil: Votação da lei é adiada para este ano

Iniciativa colaborativa que começou em 2009 e se transformou em projeto de lei (PL 5403/2001), o Marco Civil que visa regulamentar direitos e deveres na utilização da Internet no Brasil foi adiado para 2014. O texto foi alvo de polêmicas no final do ano passado por causa de divergências principalmente sobre temas como “neutralidade” e “privacidade” na rede. Para os favoráveis ao projeto, a ausência de uma legislação específica tem gerado conflitos e contradições sobre as responsabilidades na rede, deixando a definição dos limites a cargo dos próprios contratantes. Já para os que são contra o projeto, o Marco Civil representaria uma espécie de censura e “empecilho” à livre iniciativa privada. Apesar de ser colocado em votação em caráter de urgência, o PL aguarda o recesso parlamentar (que termina em fevereiro) para ser votado.

Redes sociaisNovas redes ganham espaço

Caiu o número de usuários do Twitter nos EUA, segundo pesquisa do Centro de Pesquisa Pew. A pesquisa realizada com 1.445 internautas de 18 anos ou mais apontou as redes sociais mais populares. Segundo a pesquisa 21% dos entrevistados usam o Pinterest, 22% usam o Linkedin, enquanto apenas 18% preferem o Twitter. O Brasil que continua superando todas as expectativas quanto ao engajamento dos internautas  em redes sociais já recebe o título de “capital das mídias sociais” no cenário internacional. A rede social preferida dos brasileiros continua sendo o Facebook, mas cresce o uso de outras redes como o Pinterest e o Instagram. “Uma das coisas que os fundadores do Instagram queriam criar é o senso de comunidade. O brasileiro é caloroso e amigável então isso é uma coisa natural para vocês”, explica o gerente global de Comunidades no Instagram, Bailey Richardson ao jornal Estado de S. Paulo.

Segurança online: mais vazamentos

Está cada vez mais intensa a discussão sobre a vulnerabilidade da segurança no meio digital. E a discussão voltou à tona logo no começo de 2014 com uma série de episódios envolvendo hackers, espionagem e vazamento de dados. Na quarta-feira (1), o Exército Eletrônico Sírio (EES), um coletivo de hackers que apoia o presidente sírio, Bashar al-Assad, assumiu a responsabilidade por invadir contas do Skype acusando a Microsoft de espionar os usuários. Segundo as agências internacionais, os hackers teriam deixado a seguinte mensagem: “Não usem os e-mails da Microsoft (hotmail, outlook). Estão monitorando as suas contas e vendendo dados aos governos. Em breve mais detalhes.”. A mensagem permaneceu no ar por pouco menos de duas horas. A Microsoft não comentou o incidente.

Já o aplicativo Snapchat também foi alvo de hackers neste início de ano. Os responsáveis vazaram  dados de 4,6 milhões de usuários da ferramenta e afirmam ter apagado os dois últimos números dos telefones vazados para “minimizar os riscos de abuso”. O intuito, segundo eles é alertar sobre a vulnerabilidade do aplicativo que tem o objetivo de justamente ser mais seguro por excluir as mensagens e imagens alguns segundos após a sua exibição.

Um comentário

Deixe uma resposta